quinta-feira, 7 de junho de 2012

Um Mês Para Viver


Dos trinta, faria você trinta e um
as moiras sentiriam-se inseguras,
pois me faria sem rupturas
sendo eterno em um mês.

Com dois terços de sanidade
perder'ia três ou até mais,
não como simplório
somente prudente
integro por te ter.

Hipoteticamente,
foiçar'ia a morte
com três tiros
exorcizando meus demônios
barganhando com a alma obscuramente 
em um mercado Dantante.

Se me tenho sem barganha,
no advento do primeiro
teu corpo seria prisma
e o mundo teria entonações policromáticas.

Que fosse bissexto 
ou qualquer dos anos
qualquer dos meses,
qualquer dos lugares,
em qualquer situação,
porém, não qualquer princesa.

Poder'ia morrer de qualquer forma
desde que meu epitáfio
lapidasse teu coração
com as seguintes palavras:
"Eu Te Amo"

4 comentários:

  1. Oi Jean,

    Li e reli, para acompanhar o teu tempo, são belas tuas palavras e o amor nelas demostrando.

    Beijo meu

    ResponderExcluir
  2. Eu flutuei com esse teu texto, li e reli, me apaixonei.


    Escreves tão bonito, de verdade.

    ResponderExcluir
  3. A leitura foi apaixonante! É de sua autoria mesmo?! então meus parabens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, tudo aqui disposto é de minha autoria

      Excluir